olharastronomico

Conheça o projeto A119, que visava detonar bombas atômicas na Lua

Pode soar como um enredo saído de um romance de ficção científica, mas uma missão dos EUA para explodir a nossa querida Lua com uma arma nuc...




Pode soar como um enredo saído de um romance de ficção científica, mas uma missão dos EUA para explodir a nossa querida Lua com uma arma nuclear era muito real nos anos 50'.
Nos anos 50, os EUA planejaram detonar uma bomba nuclear na Lua como forma de demonstrar sua força militar e técnica durante os dias pós-Sputnik da guerra fria. Isto foi o que revelou 1 físico envolvido no projeto. O projeto de nome A119 foi um plano ultra-secreto desenvolvido em 1958 pela Força Aérea dos Estados Unidos.
O objetivo era detonar a bomba nuclear na Lua, o que poderia ajudar a responder alguns dos mistérios da astronomia planetária e astrogeologia além de é claro dar uma demonstração de poderio bélico a União Soviética. O flash de luz explosivo teria  visível pelas pessoas da Terra com seu olho nu , uma demonstração de força.
A existência do projeto dos EUA foi revelado em 2000 por um ex-executivo que era NASA , Leonard Reiffel , que liderou o projeto em 1958. O jovem Carl Sagan fez parte da equipe responsável para prever os efeitos de uma explosão nuclear em baixa gravidade e para avaliar o valor científico do projeto. Os documentos do projeto permaneceram em segredo por pelo menos 45 anos.
O físico, Leonard Reiffel, disse que ele estava encarregado de um estudo altamente classificado de visibilidade da explosão, seus possíveis benefícios da ciência e seus efeitos sobre a face da Lua.
Sua pesquisa foi iniciada em 1958, patrocinado pelo centro de armas especiais da força aérea de Albuquerque, e envolveu pelo menos 10 pessoas em sua equipe, incluindo Carl Sagan, então um jovem astrônomo, mais tarde um famoso divulgador da ciência. Na época Sagan era doutorando do astrônomo Gerard Kuiper.
O projeto foi cancelado pela Força Aérea em janeiro de 1959, aparentemente por medo de uma reação negativa do público e do risco para a população. Porém um pouco mais tarde, relatórios mostraram que um projeto soviético correspondente de fato existiu.
Os projetos soviéticos iniciaram em Janeiro de 1958 e eram parte de uma série de propostas sob o nome de código "E". Projeto E-1 que era um plano vinculado para se chegar à lua, os projetos de E-2 e E-3 que envolviam o envio de uma sonda ao redor do lado mais distante da Lua para tirar uma série de fotografias da sua superfície. E a fase final do projeto, E-4, era para ser um ataque nuclear na Lua como uma demonstração de força. Tal como acontece com o plano americano, a série E de projetos foi cancelada ainda na sua fase de planejamento, devido a preocupações sobre a segurança e confiabilidade do veículo de lançamento.
O projeto americano consistia em lançar um míssil carregando um pequeno dispositivo nuclear para ser lançado a partir de um local não revelado e chegar viajar pelo menos 238 mil milhas para a Lua, onde seria detonada no momento do impacto.
Os planejadores decidiram que teria de ser uma bomba atômica, porque uma bomba de hidrogênio teria sido demasiado pesado para o míssil. Não ficou claro ou confirmado que Carl Sagan sabia do objetivo do projeto que era explodir uma bomba atômica na lua, o que se sabe é que sua participação no projeto era a de fazer cálculos para entender os efeitos de explosões nucleares na Lua. Então, isso não quer dizer que precisam desconsiderá-lo, mas já imaginou o estrago total que poderia ocorrer principalmente no nosso planeta, pois particulas da Lua iriam vir em nossa direção, ficando em órbita até chegar ao chão. Melhor nem imaginar né?

Artigos relacionados

projetos e missões secretas 9040844658823663871

Postar um comentário

emo-but-icon

item